.

.

sábado, 23 de abril de 2016

ENQUANTO A ENERGIA NÃO VEM.........................

Por: Melissa Schirmanoff 22 de Abril de 2016 às 17:10 Quem ao menos já não ouviu falar da Trilha das Sete Praias em Ubatuba?... thumbnail 1 summary
Por: Melissa Schirmanoff
22 de Abril de 2016 às 17:10
Quem ao menos já não ouviu falar da Trilha das Sete Praias em Ubatuba? Um caminho paradisíaco que leva da praia da Lagoinha à praia da Fortaleza? 


 
Mas engana-se quem pensa que apenas aventureiros, atletas e turistas percorrem esse caminho. Muitas famílias moram nessas praias e essa trilha é o único acesso por terra às suas residências. É o caminho que trilham os caiçaras. Gente da terra. Gente que aqui nasceu, cresceu, casou, teve filhos e que agora vêem seus filhos crescerem morando no mesmo lugar. Gente que espera há quarenta anos a energia elétrica chegar às suas casas. Isso mesmo. Os moradores da praia do Peres buscam há quarenta anos a expansão da rede de energia elétrica exatamente neste caminho. Para iluminar a trilha e também suas moradias.




Após a publicação no jornal A Cidade, edição 2284, de 6 e 7 de fevereiro de 2016, de matéria intitulada “ Energia elétrica: sonho de caiçara”, a luta antiga dos moradores reacendeu a esperança de “Seu” Egídio, sua filha Taiana, de toda a sua família e também de outros moradores da praia do Peres. Eles passaram a contar com a ajuda de representante da Câmara Municipal de Ubatuba, encontraram apoio da Prefeitura Municipal de Ubatuba que a eles uniram suas forças para intermediar juntamente com a associação de moradores legalmente constituída, a instalação, pela Elektro, da tão sonhada energia elétrica.
Eles acompanham o desenrolar burocrático que irá iluminar suas vidas mas não esperam sentados. Além de se mobilizarem para agilizar o processo de expansão da rede, comparecendo às reuniões e encaminhando documentos, eles seguem cuidando da trilha.
Os moradores se reúnem periodicamente em mutirão e promovem voluntariamente a limpeza e preservação da trilha, retirando o lixo deixado pelos turistas, realizando a poda do mato que invade o caminho, varrendo e recolhendo as folhas secas e também preservando espécies nativas, espalhando suas sementes.
Caprichosos, até placas artesanais eles confeccionam e as colocam ao longo do caminho orientando os turistas a não jogarem lixo pela trilha, ajudando assim na preservação da natureza e na conscientização ambiental. Ainda que em vão.
Como o caminho é uma estrada municipal, caberia sim à municipalidade realizar esse trabalho periódico de zeladoria mas se os moradores não o fizerem, seus filhos ficariam impedidos de irem à escola e eles,  de trabalharem. Um voluntariado essencial poderia por assim dizer. E enquanto seguem cuidando do caminho, continuam a alimentar o sonho de vê-lo iluminado.

Nas fotos, é possível ver João Lopes, Luciano Lopes, Ademílson Rodrigues, Fabiano Ramos e Taiana Santiago de Oliveira todos moradores da Praia Peres que periodicamente se reúnem voluntariamente para promover a limpeza da trilha. .......................Do Jornal   A Cidade  Ubatuba

Nenhum comentário

Postar um comentário