.

.

terça-feira, 31 de maio de 2016

HAVIA UMA ESTRADA NO MEIO DA MATA ATLÂNTICA.........

por Renata Takahashi - 27/05/2016, 16h09 NOTÍCIAS Gato-do-mato encontrado morto após atropelamento no quilômetro 11 ... thumbnail 1 summary

por Renata Takahashi - 27/05/2016, 16h09

Gato-do-mato encontrado morto após atropelamento no quilômetro 11 da BR-101, em Ubatuba. (Foto: ONG Profauna)


Em 1999, o presidente Fernando Henrique Cardoso decretou o dia 27 de maio como “Dia da Mata Atlântica”. Hoje, restam apenas 8,5 % de remanescentes florestais acima de 100 hectares, em comparação com a cobertura original do bioma no Brasil, segundo a Fundação SOS Mata Atlântica. O Litoral Norte de São Paulo possui 80% de seu território protegido por Unidades de Conservação, formando um significativo corredor ecológico de proteção do bioma.




Habitam a Mata Atlântica ao menos 298 espécies conhecidas de mamíferos, 992 espécies de aves, 200 répteis e 370 anfíbios. Os animais, assim como a vegetação que ainda resta, são vítimas de diversas pressões e ameaças. Um exemplo são os atropelamentos de animais silvestres em estradas que cortam a floresta.
Tiê-sangue encontrado no quilômetro 10 da BR-101, mais um animal vítima de atropelamento em Ubatuba. (Foto: ONG Profauna)


A rodovia Rio-Santos, que atravessa o município de Ubatuba de norte a sul, tem causado a morte de diversas espécies desde sua abertura na década de 70, sem que medidas efetivas tenham sido implementadas até hoje. Do trecho norte da rodovia, que vai da divisa com o Rio de Janeiro até a praia Grande, a administração é feita pelo DNIT. Já o trecho sul é administrado pelo DER.

Ações da sociedade civil

Tiago Leite é caiçara, nascido no Itaguá, se formou biólogo e hoje coordena a ONG “Profauna – Proteção à Fauna e Monitoramento Ambiental”. Entre os projetos da organização, há um que trata especificamente do problema dos atropelamentos de animais silvestres, “101: A BR DA VIDA”, que monitora a fauna vítima de veículos no trecho norte paulista da Rio-Santos, em Ubatuba.
Mão-pelada encontrado morto no asfalto da BR-101 em Ubatuba no quilômetro 5. (Foto: ONG Profauna) 


A lista de espécies encontradas atropeladas pelo Profauna é grande. Lagarto teiú, cobra-verde ou cobra-cipó, cobra caninana, cobra mucurana, tamanduá-mirim, tatu-galinha, furão, gambá, mão-pelada, capivara, cachorro-do-mato, ouriço-cacheiro, preá, gato-do-mato, jaguatirica, lontra, rato-do-bambu, lebre, gato-jaguarundi, paca, preguiça, tatu-do-rabo-mole e até um lobo-guará já foi registrado pela ONG. Além de aves como rendeira, bem-te-vi, saíra-militar, tiê-pardo, tiê-sangue, tiê-preto, bacurau, martim-pescador, coruja-do-mato, carcará, trovoada, garça-branca-pequena, urubu-de-cabeça-preta, saracura e gavião carijó.

Em entrevista ao InforMar Ubatuba, o biólogo Tiago Leite relata que a espécie mais encontrada pelo Profauna é o gambá. Em segundo lugar está o mão-pelada ou guaximim. “Grande partes dos atropelamentos estão relacionadas a áreas com declive, onde provavelmente os carros descem em velocidade maior e não têm tempo de frear”, aponta.  A incidência de atropelamentos de animais silvestres, segundo ele, também é maior em áreas onde a floresta está mais preservada, abrigando assim mais animais.
Cobra-muçurana, encontrada morta no quilômetro 25 da BR-101 em Ubatuba. (Foto: ONG Profauna)


Ele defende que a informação sobre a presença de animais silvestres nas estradas precisa melhorar em Ubatuba, e que são necessárias placas de sinalização adequadas às espécies da região. Na opinião do biólogo, o Parque Estadual da Serra do Mar deveria assumir uma responsabilidade maior quanto aos atropelamentos “principalmente no que diz respeito à implementação de uma estrada-parque”, sugere. A estrada-parque poderia incluir em seu trecho estratégias como redução obrigatória de velocidade dos veículos, placas, corredores ecológicos subterrâneos e aéreos. 

De acordo com o coordenador do Profauna, a ONG "não tem conhecimento de nenhum plano efetivo deles [DER e DNIT] de combate ao problema. Eles deveriam sim, por lei, estar executando esse tipo de monitoramento ou dando suporte para instituições que executam esse tipo de trabalho", afirma.

Na entrevista, Tiago pede que as pessoas reduzam a velocidade quando estiverem dirigindo, principalmente em áreas onde há floresta e mata. Ouça o áudio completo da conversa e saiba mais sobre o projeto “101: A BR DA VIDA”, da ONG Profauna:
Tatu-do-rabo-mole encontrado este mês no trecho sul da BR-101, em Ubatuba. (Foto: ONG Profauna)

Lebre atropelada próxima ao quilômetro 12 da BR-101, em Ubatuba. (Foto: ONG Profauna)
Cobra caninana, também atropelada próxima ao quilômetro 12 da BR-101, em Ubatuba. (Foto: ONG Profauna)

FONTE.............INFORMAR UBATUBA


Nenhum comentário

Postar um comentário