.

.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Câmara de Ubatuba: Cobrança da Zona Azul continua firme e forte na cidade

Apenas dois vereadores, Bibi e Flávia Pascoal, mantiveram seus votos pedindo o fim da taxa de estacionamento Mais uma votação polêmic... thumbnail 1 summary

Apenas dois vereadores, Bibi e Flávia Pascoal, mantiveram seus votos pedindo o fim da taxa de estacionamento
Mais uma votação polêmica tomou conta da Câmara de Ubatuba na noite desta terça-feira. Os vereadores tinham a missão de votar a favor ou contra o veto do prefeito ao projeto de lei que pedia a extinção da cobrança da Zona Azul na cidade.



Assinado primeiramente por sete dos dez vereadores no mês de junho, o projeto de lei 64/16 previa o fim da cobrança da Zona Azul nas praias e na região central. A justificativa para a ação se baseou, segundo os vereadores, na falta de melhorias nas ruas e também a ausência de transparência nas prestações de contas. “O presente projeto tem por objetivo sanar uma cobrança indevida que vem sendo praticada aqueles que frequentam as nossas principais praias, como também o centro comercial de nossa cidade, sendo que para estacionar sem as menores condições de conforto, segurança e proteção tem que se pagar taxas de Zona Azul, que nessas condições são muito injustas”, dizia o texto do projeto em sua justificativa.
No entanto, menos de dois meses depois, alguns vereadores mudaram de ideia e concordaram em apoiar o veto do prefeito, que garante a continuidade da cobrança. A alegação dos vereadores é de que nesse período a Comtur explicou os investimentos e também o fato de que muitos trabalhadores perderiam os seus empregos e que parte do dinheiro arrecadado é destinada para a saúde do município. Mudaram de opinião os vereadores Ivanil Ferreti, Julião, Xibiu e Daniele Soares. O presidente da Câmara, Claudnei Xavier, que só votaria em caso de empate, não manifestou sua posição.
Os vereadores Bibi e Flávia Pascoal não se intimidaram com a presença (e vaias) dos funcionários da Comtur no plenário, que levaram faixas e cartazes, e mantiveram suas justificativas ao fim da Zona Azul. “Desde o início do meu mandato venho questionando a Comtur sobre prestação de contas em que ela apresentava valores baixos de arrecadação que nós sabemos que não condiz. Agora, a dois meses da eleição, ela apresenta um valor alto destinado à urgência e emergência da cidade. Durante os últimos quatro anos não tivemos retorno, a população não teve retorno, sobre as condições que a Comtur opera, o planejamento e o que é feito com o dinheiro arrecadado. Outra questão são as condições de trabalho dos funcionários, sem equipamento, com roupa inadequada e comendo comida estragada. Isso não é justo diante de um enorme arrecadamento, por isso, não posso fazer um voto contrário ao que nós aqui decidimos juntos”, explicou Flávia sob um misto de vaias e aplausos.
Com a maioria dos votos favoráveis ao veto, turistas e moradores terão que continuar pagando a Zona Azul para estacionar nas praias e ruas do centro da cidade.
FONTE  ........PORTAL  CAIÇARA

Nenhum comentário

Postar um comentário