.

.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

ARTE NA RUA.......ARGENTINO SE APRESENTA NO SEMÁFORO PARA GARANTIR SUTENTO DA FAMÍLIA.......

Escrito por Jornalismo “A rua é um treinamento. Quando toco, vejo quem gosta e quem não gosta”, disse o argentino da viola P... thumbnail 1 summary



Escrito por Jornalismo
“A rua é um treinamento. Quando toco, vejo quem gosta e quem não gosta”, disse o argentino da viola

Por Raell Nunes, de Ubatuba

É com muita simpatia e simplicidade que o argentino César Gonzalez conecta seu violão a um pequeno amplificador de som e começa a se apresentar quando o semáforo está com sinal vermelho, no Centro de Ubatuba. Ele faz a sua arte e sai com o chapéu pedindo uns trocados aos motoristas que o ouviram.



Essa história se repetiu em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Há quatro meses no Estado de São Paulo, o argentino de 35 anos tem feito das ruas do litoral seu principal palco. Ele diz que ama a música e a rua ao mesmo tempo.
Entretanto, os seus maiores amores, conforme disse, são as duas filhas: Rumba Canela, de seis anos e Arena Morena, nove anos. Além das ruas, o músico ainda canta em bares, restaurantes e dá aulas de violão para complementar a renda e sustentar sua família.
“Canto na estrada desde os 18. Meus pais eram músicos e aprendi violão com nove. A rua é um treinamento. Quando toco, vejo quem gosta e quem não gosta. Não percebo isso pelo dinheiro que ganho, mas pelo olhar, pelo sorriso de quem acaba de ouvir minhas canções”, contou.

Gonzalez ficou conhecido como “argentino da viola” na região. Ele é natural de Villa Gesell, lado leste de Buenos Aires. Antes do Brasil, o artista passou pelo Peru, Equador, Chile e Uruguai. Como se fosse um especialista, o cantor fala da diferença entre os brasileiros e os argentinos, que segundo ele é grande.
“O brasileiro é mais sossegado. O argentino é triste. Você vê isso pelo tango, é um ritmo deprimente. No Brasil tem o samba e todos ficam felizes. Lá o povo briga bastante, briga por tudo, o tempo todo. Os artistas são desunidos. Nas ruas de Buenos Aires cada um tem sua área para se apresentar. Quem invadir a área do outro é agredido”, afirmou.
O argentino da viola está quase todos os dias no semáforo da rua Conceição, das 11h às 15h. Ele está morando temporariamente em um chalé, no Itamambuca. Gonzalez prometeu ficar mais dois meses em Ubatuba, após esse período partirá ruma à Argentina, com suas filhas.
Em suas palavras, o amor pela música e pela família evidencia-se. “Mesmo desse jeito complicado e com dificuldade, é muito importante viver de música. Às vezes eu penso se quero realmente viver de música ou não. Mas entre momentos bons e ruins, eu sigo em frente. Afinal, tenho duas meninas para alimentar e cuidar”.

Nenhum comentário

Postar um comentário