.

.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

AUMENTA O NÚMERO DE TARTARUGAS RESGATADAS EM UBATUBA

Maquete mostra tipo de rede utilizada por pescadores no projeto (Foto: Reprodução/TV Vanguarda) O número de tartarugas resgatadas ... thumbnail 1 summary


Maquete mostra tipo de rede utilizada por pescadores
no projeto (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)


O número de tartarugas resgatadas após ficarem presas em redes de pesca aumentou cinco vezes nos últimos 22 anos em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. A estatística, que poderia representar uma ameaça para o animal, é na verdade o resultado de uma pesquisa feita pelo projeto Tamar em parceria com os pescadores da cidade.





O trabalho tenta conscientizar a comunidade sobre a importância do trabalho de preservação da Tartaruga Verde, espécie na lista de animais em extinção.
Em 1994, quando o projeto começou, o registro era de uma tartaruga resgatada por dia. Atualmente, são resgatadas em média cerca de cinco por dia.

Para o biólogo José Henrique Becker, o resultado só pode ser alcançado com a colaboração de quem vive da pesca na costa da região. Ele explica que a troca de informações é fundamental para a garantia do sucesso no projeto.
“[Queremos] essa parceria, essa compreensão do pescador de que o Tamar está buscando uma solução conjunta para resolver um problema que é de todos, da tartaruga, do pescador e do Tamar”, explicou o biólogo.
Os pescadores usam um cerco flutuante na captura, equipamento que não caracteriza pesca predatória. O material é composto por uma rede com passagens menores montada em círculo, o que garante a sobrevivência de praticamente todas as tartarugas presas.
De acordo com o Tamar, durante as duas décadas do estudo foram capturadas 10,4 mil tartarugas pela pesca e devolvidas ao mar. Se fossem utilizadas as redes convencionais de pesca, o índice de sobrevivência seria de aproximadamente 60%.


Nenhum comentário

Postar um comentário