.

.

sábado, 31 de dezembro de 2016

PREFEITO DÉLCIO SATO CONCEDE ENTREVISTA AO SITE UBATUBA SIM.........CONFIRA

O novo prefeito de Ubatuba, Délcio José Sato (PSD), toma posse amanhã ao lado do vice-prefeito, Jurandir de Oliveira Veloso, o Pel... thumbnail 1 summary





O novo prefeito de Ubatuba, Délcio José Sato (PSD), toma posse amanhã ao lado do vice-prefeito, Jurandir de Oliveira Veloso, o Pelé e promove uma festa as 17h00 na Avenida Dona Maria Alves, 865, com a participação da dupla sertaneja Nako e Rafael, Banda Gospel e Banda Lira Padre Anchieta. As 18h00 acontece a transmissão de cargo na sede da prefeitura.
Sato conversou com o Ubatuba Sim contando seus planos e ações primárias para o município neste começo de governo. “Eu tenho clamado para as pessoas, no dia 1° de janeiro todos os buracos da cidade, todos os problemas da cidade passa a ser culpa do novo prefeito, tem que ter um pouco de paciência, isso foi herdado”, pontua Sato. Ele acrescenta que a participação popular é essencial para o sucesso de seu governo. “Nada mais justo que vir a população contribuir conosco para superarmos esta fase e possamos avançar mais, para chegar a cidade que queremos”, analisa. 





O novo prefeito acrescenta que não sabem as condições da prefeitura ainda. “O pessoal da transição está pegando aqueles documentos urgentes e básicos, que são contratos que estão vencendo, sabendo a questão orçamentária, entre outras coisas importantes neste momento. Estive duas vezes esta semana com o prefeito Maurício Moromizato (PT) pedindo algumas coisas para que acontecesse já, por exemplo, dois acessos aqui no Centro, no Reveillon, a cidade para pelo volume de pessoas e carros nestas vias, e a situação como se encontra hoje está terrível e eu não terei condições de fazer no grande movimento, seria uma loucura parar para uma obra. Pedi para que o Maurício pelo menos fizesse um paliativo neste período, para que a gente não venha enfrentar problema de congestionamento e problemas até de acidentes, devido a má conservação destas vias de acesso”, informa ele. Acompanhe abaixo a conversa completa e conheça os novos planos para Ubatuba.


Patrícia Rosseto: Notamos que a população tem demonstrado muita esperança em seu mandato…


Délcio José Sato: Eu tenho visto realmente uma grande expectativa da população, uma esperança e isso que temos falado nas ruas que é importante, temos que quebrar alguns paradigmas, hoje, Ubatuba só tem condições de sair da situação que está se unirmos as forças. Ainda se vê ainda alguns movimentos politiqueiros de algumas pessoas que estavam em outros grupos políticos que criticam só por criticar, acho que isso não leva a nada.
O momento de campanha política acabou. A situação agora é a cidade de Ubatuba, então tem que ter justiça, tem que ter realmente ponderação naquilo que se fala, pois qualquer crítica sem fundamento acaba trazendo prejuízo não para o prefeito, mas para a cidade.
Peço para que a população tenha um pouco de paciência, que venha colaborar conosco, acho que cada cidadão fazendo sua parte melhora e muito a cidade.
O que devemos fazer pela cidade é se juntar, trazer ideias, corrigir sim aquilo que tem que ser corrigido, a Câmara também tem um papel fundamental para uma soma desta mudança efetiva.
O prefeito sozinho não resolve todos os problemas, precisamos de todos unidos e eu estou confiante nisso. Confiante no secretariado que não é fácil de se montar e nós conseguimos constituir uma equipe bem profissional, qualificada, mesclada entre técnico e político. Para o secretariado nós estabeleceremos metas e estas metas precisam ser cumpridas, não sendo cumpridas não poderão ficar conosco no governo.
Estou muito esperançoso, positivo, não parei até agora desde que acabou a eleição, estivemos em Brasília, São Paulo, mapeando tudo que pretendemos para 2017.
Se todos tivermos unidos estou esperançoso, mesmo diante de toda a crise que o país atravessa, diante da situação que está a cidade de Ubatuba, acredito mesmo assim que nós podemos fazer uma boa administração e mais, fazermos o diferencial no Litoral Norte e região.
É muito trabalho, medidas e ações a serem tomadas, muitas vezes até amargas para termos resultados positivos. Ontem cheguei de Caraguatatuba eram mais de três horas da manhã, justamente discutindo planos e ações para que nós possamos melhorar nossa arrecadação, sem trazer prejuízos para a população que já é sofrida nesta questão de impostos. Porém temos que ser justos e fazer com que as pessoas que não pagam passem a colaborar com a cidade. O comércio informal a prefeitura vai dar condições dos comerciantes virem para a formalidade, com isso é natural que a arrecadação melhore. Até hoje, se fala na questão da formalização destas empresas, mas, na prática, ao invés de ajudar as empresas, as penalizam, então as pessoas preferem ficar na informalidade que vir para formalidade. 


P.R.: Esta é uma das coisas que vão mudar?


Sato: Faremos uma campanha primeiramente de conscientização da população e destas empresas, para que venham fazer o que é o correto, o justo e legal. Se nós fizermos isso, todos ganharão, a cidade, os serviços que retornarão para estas próprias pessoas e a justiça. Um pode pagar e outro não pode? Acredito que as pessoas terão esta boa vontade e quererem realmente contribuir, mas o poder público tem que dar condições para que eles venham para a formalidade, de maneira menos traumática. O poder público não é para penalizar, é para dar condições melhores para a regularização.
Já estamos preparados e com planos de ações neste sentido, por exemplo, ambulantes, já vou até aproveitar a oportunidade, dar o alerta, aquele que estiver de forma irregular, não venha para Ubatuba, pois nós trabalharemos tolerância zero. Sempre foi assim? Sempre foi assim e sempre foi desorganizado e sempre trouxe prejuízos para aqueles que estão na formalidade, para o comércio local e para aqueles que frequentam a nossa cidade e as nossas praias. Este recado não é só meu, é unânime, da Associação Comercial, dos empresários e dos próprios ambulantes que está de forma regular e formal.
Aqueles que querem vir dar um jeitinho neste período é melhor que não venha, pois terá dissabores se estiver trabalhando de forma ilegal e irregular. Nós sabemos, não adianta tentar tapar os olhos, de pessoas de outras cidades e Estados, sem licença para fazer este tipo de serviço na temporada. Nós vamos intensificar a fiscalização, já pedi ao Maurício, como já estamos em dezembro que pudesse fazer uma reunião envolvendo aqueles que estão e aqueles que estarão a partir de janeiro e todos os envolvidos para que façamos um trabalho efetivo de fiscalização e impedimentos de pessoas irregulares nas praias trazendo alguns prejuízos inclusive quando se fala em alimentação, intoxicação por exemplo.
Vamos organizar o comércio ambulante, ainda temos muito o que fazer mas vamos fazer o melhor já para que os erros cometidos agora sejam melhorados agora para que na próxima temporada que já é de total responsabilidade da nossa administração. Tudo tem que ser planejado, desde já, se deixarmos para a última hora infelizmente acaba tendo dissabores e erros. A divulgação também é importante, por isso também estou aproveitando esta oportunidade para as pessoas saberem que se querem vir de outros Estados é melhor que não venha. Pois vai enfrentar fiscalização mais efetiva. 


P.R.: Como o senhor prevê o primeiro ano na cadeira de prefeito?


Sato: Agora acabaram as campanhas políticas, é hora de pedir colaboração dos munícipes, a campanha agora é em favor da cidade de Ubatuba. Estou trabalhando muito e vou trabalhar ainda mais, acredito que vamos potencializar aquilo que sonhamos e acreditamos através de nosso secretariado, equipe e acredito ainda na força popular, o segredo é a união entre o poder público e população.
A cidade vai mudar e qualquer um que nos visitar aqui e falar mal da nossa cidade o povo irá nos defender, dizer eu moro aqui, estamos construindo, até me desculpe, não está ideal ainda mas estamos trabalhando para que fique bom.
Agora, se nós ficarmos esperando o outro fazer nunca vai mudar, temos que começar por nós, as nossas atitudes, sua atitude dentro daquilo que você espera. Quem quer cobrar tem que ser exemplo.
O Mário Covas, o Antônio Carlos, o ex-prefeito de Caraguatatuba sempre dizem isso e eu quero poder usar também, nós temos que nos preocupar com as próximas gerações, se pensarmos assim vamos melhorar, se ficarmos pensando nas próximas eleições, seremos mais outros politiqueiros e é isso que ainda vemos por aqui, politiqueiros oportunistas, buscando situações oportunas pensando nas próximas eleições e não nas próximas gerações. Vamos pensar nas próximas gerações independentemente das próximas eleições.
P.R.: Como prevê seu relacionamento com a Câmara Municipal?
Sato: Eu tenho conversado com cada um dos eleitos, de forma individualizada, mas antes de assumir, gostaria de fazer uma reunião com todos eles e apresentar junto a minha equipe a realidade da prefeitura, aquilo que pretendemos fazer nestes quatro anos e gostaríamos muito da colaboração deles para que isso se efetivasse.
Tenho visto hoje uma vontade por parte de cada um dos vereadores eleitos, de caminhar junto conosco no sentido de melhorar a cidade. Somos poderes independentes mas temos que ter como a constituição diz, esta harmonia para que as coisas deem certo.
O Poder Executivo precisa da aprovação do Poder Legislativo do Pacote de Medidas de Contenção de Despesas, que tem o objetivo de melhor arrecadação e realizar assim, uma gestão melhor, Vou precisar fazer várias alterações, já temos até um pacote de medidas para discutir com a Câmara para iniciarmos já realizando estas medidas para logo termos resultados positivos, ainda este ano e mais efetivamente, é claro, a partir do ano que vem.
Não queremos nada além do que melhorar a cidade, isso que vamos apresentar a eles e, se houver parceria certamente a cidade vai crescer, desenvolver, preservando toda esta beleza natural, este potencial turístico que temos.

P.R.:Quais os planos primários para Turismo, Cultura e Sustentabilidade?


Sato: Estas são pastas fundamentais para a cidade de Ubatuba, inclusive nós já estamos tratando com os secretários para ter integração entre estas áreas, não dá mais para uma secretaria tomar medidas isoladas. Se nós tivermos todas secretarias envolvidas, como Cultura, Educação, Turismo, vamos conseguir fazer o que há de melhor.
Nós temos potencial, temos algo a ser resgatado na questão cultural, que ficou totalmente abandonada, o resgate da cultura indígena, quilombola, caiçara, as nossas festas tradicionais. Nossa cultura ficou apagada. Temos também a questão do teatro, enfim, nós precisamos somar esforços para que isso aconteça.
O turismo, nós precisamos desenvolver a cidade e o turismo está aí, nós temos um potencial tremendo e vamos fazer um plano neste sentido para trazer investidores para geração de emprego e da economia do município. Em turismo sustentável, não podemos perder de vista esta beleza que nós temos, é nosso cartão de visita. O turismo vai ser temporário, e outra, pode ser de certa forma agressivo e não queremos isso para cidade. Inclusive estrangeiros estão de olho na cidade de Ubatuba justamente por causa desta preservação da mata, das praias que são as melhores, enfim, precisamos cuidar disso e fazer sempre de uma forma responsável, sustentável para que a gente não venha a ter problemas futuros. Agora, não podemos deixar que a cidade deixe de se desenvolver pois temos como realizar de uma forma que não venha a agredir o nosso meio ambiente.


P.R.: Quais ações podem entre a preservação do meio ambiente e na fomentação do turismo?


Sato: Conscientização através da informação e prática. Tudo começa nas associações de bairro, depois as escolas, pra mim hoje a informação e o trabalho de conscientização é fundamental, qualquer atitude nossa que não venha a ser justificada, informativa, que traga este conhecimento para a população não vai adiantar, é impor uma coisa para a sociedade e isso não dá certo.
Se trouxermos da base flui melhor e nos começamos a ter adeptos para que realmente aconteça. Por exemplo, coleta seletiva, não adianta nada eu implantar o sistema se não tivermos a base informada disso tudo, saber o ciclo, como funciona, pois acaba trazendo para nós o sentimento que devemos fazer algo essencial e não uma ação vaga. Se não houver esclarecimentos e engajamento o projeto fica vago e solto, se desfaz com facilidade.

P.R.: Como seria este plano de conscientização?

Sato: Então o plano de sustentabilidade é junto as pessoas, para que se conscientizem do que é, vivenciem isso, para que passa a ser algo realmente normal e acabar contagiando a todos, até quem nos visita. Para que realmente seja efetivo, se não é simplesmente falar por falar, fazer projetos por fazer. Tem muitos projetos bonitos mas se você não transmitir a essência, não vai resolver nada. Além desta informação de base, de todas as pessoas saberem, vivenciarem, se envolverem, os projetos precisam ter nomes para que possam realmente ser cravados, que realmente reconheçam os projetos.
Foi realizado muita coisa já, produzem muito, mas começam bem, crescem e depois somem ao longo do tempo.
Precisamos de projetos e ações efetivas e que principalmente passem a fazer parte do nosso dia a dia, que se torne natural. Para que venha com maior consistência deve passar pela educação, abrangendo crianças e jovens. Assim vamos fazer com que contagie todas as pessoas e, como disse, as pessoas que nos visitam também serão contagiadas por esta base sólida que vamos construir em respeito ao meio ambiente e turismo.
P.R.: O lixo vale ouro e nosso lixo vai para Jambeiro (SP)…
Sato: A questão do lixo, limpeza da cidade, já conversamos com o prefeito Maurício e já falamos coma empresa que possa apresentar para nós um plano de ação nesta temporada, estamos cobrando muito e eles garantiram que não teremos problemas na coleta de lixo e do transbordo de lixo neste período, mesmo assim, estamos pensando em um plano B junto a prefeitura e até as pessoas envolvidas na área, pois se deixarem de atender nós seremos efetivos inclusive na rescisão deste contrato e abertura de nova licitação. Espaço para empresas que venham fazer diferença em nossa cidade.
Sobre dizer que da noite para o dia nós faremos isso não é possível, vou ser realista, o volume de lixo é muito grande, e mais outra situação, existem medidas que podem ir amenizando a situação, por isso que digo que as associações de bairro são muito importantes, e vamos regularizar justamente para fazer o bairro se tornar autossustentáveis, que possamos adotar medidas com o próprio catador do bairro dos materiais da coleta seletiva, passar realmente a coleta seletiva. O bairro mesmo começar com orientação e equipe se ajudarem para que o próprio lixo que se diz que é precioso, ficar ali para que possam até vender este lixo, se cada bairro fizer isso, com certeza diminui o lixo geral que a prefeitura coleta.
Estamos atuando também com algumas pessoas que tem interesse em vir explorar esta área, que hoje todos querem o lixo para vender e vamos abrir possibilidades de empresas virem fazer um trabalho efetivo de coleta seletiva. Hoje, tudo precisa ter uma bandeira a ser levantada, e a coleta seletiva é uma delas, que passa pela questão educacional, junto as escolas, passa pela questão de obras, que tem que ter regularidade na passagem dos veículos para coleta, quando despejado aqui para ir para o transbordo, ter lá como se diz, uma cooperativa para fazer a seleção apurada destes produtos, para depois sim o que restar a gente mandar para fora, que com certeza a diminuição de pagamentos de valores que são altíssimos neste sentido possam diminuir. Contribuindo em questão educacional, geração de renda, emprego.
O lixo em si é uma situação que deveríamos tratar de forma regionalizada, pois São Sebastião e Caraguá enfrentam o mesmo problema, ora, será que não tem uma alternativa para fazermos de uma forma conjunta que saia até muito mais barato para nós?
Eu acredito que existe, inclusive em janeiro eu já agendei uma destas reuniões, justamente para tratar de uma usina de lixo, para que o destino final seja praticamente zero. Tenha a coleta, talvez a incineração deste lixo, mas tudo isso passa um pouco pelas aprovações junto a determinados órgãos. Agendei uma visita a esta usina em outro Estado, ainda não sei qual o tipo de legislação existe lá que se aprovou, mas acredito que a usina ainda é um caminho a ser estuda, apurado melhor para ver se cabe esta possibilidade na cidade. Quem sabe ainda se nós viermos desta viagem no Sul, poderíamos ser pioneiros em São Paulo e Litoral Norte. Estamos buscando alternativas, pois isso realmente leva uma grande fatia do nosso orçamento. 


P.R.: E quanto a saúde, principalmente a Santa Casa que está com uma lista enorme de irregularidades?


Sato: Eu tenho estreitado e iniciado uma conversa com o provedor, coloquei para ele que este é o caminho: trabalharmos juntos! Não dá para a prefeitura e a Santa Casa trabalharem isoladas, nós precisamos sentar, traçar medidas que possam ser realmente concretizadas, embora são independentes, se não caminharmos juntos não vamos resolver o problema da saúde do município.
A princípio tive um sinal verde do provedor Dr. Fânio para iniciarmos esta conversa, o futuro secretário da saúde já sentou com ele, estamos sugerindo uma parceria no sentido que nós teremos um administrador de gestão pública da saúde, acredito ser fundamental para uma Santa Casa,
Quando se fala de saúde, os médicos, técnicos em enfermagem, conhecem a realidade o provedor está ali vendo a situação, mas temos que ser bem profissionais na questão da gestão administrativa do hospital, independente dos serviços que são realizados é preciso ter esta gestão pública administrativa de saúde. Tem que ser um representante que tem entendimento nessa área.
Trouxemos aqui o Dr. Wilson Modesto Pollara, que foi secretário adjunto de Estado e hoje vai ser secretário municipal de saúde do prefeito de São Paulo, com larga experiência em saúde pública. Ele nos colocou exatamente isto: É preciso ter um gestor administrativo da saúde pública que conheça muito. Para que possamos ter uma melhor economia, uma melhor aplicação dos recursos, enfim, saber realmente a gestão de uma Santa Casa. Não estou dizendo que os que estão lá não saibam, mas sempre é importante contar com pessoas especializadas na área.
O Dr. Pollara enfatizou sobre não arcar com despesa onde detectamos que não atende a ansiedade da população. Vou pegar um exemplo claro, uma especialidade da Santa Casa hoje que paga-se X, só que esta especialidade quando você faz um levantamento, ela é utilizada uma vez a cada dois ou três meses. Então, qual o motivo de se gastar com isso se a nossa demanda é muito pequena? Aliás, aí vem a importância da integração dos municípios do Litoral Norte,
O Centro Cirúrgico da Santa Casa até hoje não está pronto, então uma cirurgia mais complexa, como vai atender? Pode acontecer um óbito. Você tem o profissional, tem o hospital mas não tem um local adequado para este tipo de cirurgia. Então temos que ver qual a nossa demanda hoje e primeiramente atender a esta demanda. Se não começamos a dar tiro para todos lados e quando vai ver as demandas são pequenas. E mais, o Dr. Alessandro Cacciatore é especialista e já trabalhou inclusive em Saúde da Família, que é um trabalho de prevenção, que bati muito na campanha, ele já está fazendo um plano maravilhoso nesta área. Chamaremos todos os agentes e faremos um trabalho, primeiro, de humanização, segundo de valorização destes funcionários, terceiro de uma logística do município que venha atender aos anseios da comunidade e automaticamente isso desafogará e muito os postos de saúde e também a Santa Casa. Se começarmos por aí já teremos bons resultados.
Na saúde até pela nomeação do nosso secretário, Dr. Alessandro que contou com uma aceitação muito boa vai facilitar muito o bom relacionamento entre secretário, prefeito e funcionários.
Tudo caminha para que tenhamos bons resultados, mas volto a dizer que a paciência vai ser importantíssima e a soma vai ser importantíssima. Não adianta vir reclamar só por reclamar só por questões de bandeiras políticas.
Por isso quero fazer o resgate das associações de bairro para que possamos estar próximo da comunidade mostrando cada passo que vamos dar. Temos que priorizar e tomar medidas para resultados melhores.
P.R.: O senhor acredita que serão necessárias auditorias como na Santa Casa, Fundação de Arte?
Sato: Eu penso da seguinte maneira, não podemos tapar os olhos para determinadas situações, mas eu preciso estancar hoje e começar a trabalhar muito para que as coisas aconteçam e, paralelamente nós vamos a cada situação que ocorrer fazer levantamentos para verificar onde houve situações.
Eu não posso dispender todas nossas forças para ficar fazendo auditoria, até porque não sei se isso vai resolver o problema de Ubatuba, pois demora, você precisa de provas consistentes para realizar medidas e ações. Então, eu não posso parar a cidade, vou estancar e começar a fazer nosso trabalho e, paralelamente levantar tudo.
Como te disse, é ali na cadeira que vamos sentir as dificuldades e problemas, embora já vemos de fora, mas quando você vai para a prática começa sim a detectar mapear cada situação custo beneficio de tudo. Estar lá dentro e fazer uma boa gestão, não tenho dúvidas que vamos encontrar um monte de situações desagradáveis, infelizmente. Isso é natural pois vemos isso no dia-a-dia da cidade e quando isso começa a refletir na população, que os serviços não estão sendo bem efetivados, é natural que alguma coisa está errada, fora do lugar.
Cada um também tem um estilo de governar, sou pela preservação dessa beleza natural, porque este é realmente o nosso potencial, mas não podemos esquecer do desenvolvimento de forma organizada, séria e comprometida com a cidade. Não podemos por que o índice de desemprego hoje é um dos maiores, aí vem a saúde com um problemão. 

P.R.: Quais os planos para a Educação em Ubatuba?

Sato: Nossos índices em educação hoje têm sido os menores, menor até que o médio, tem também a infraestrutura…Então não dá para aceitar isso, estive com alguns professores estes dias e coloquei para eles a necessidade de nós juntos fazermos um plano para a educação, um plano sério que realmente venha a acontecer de forma que quem quer que seja o próximo prefeito possa dar segmento. Vejo picadinhos de medidas dentro da educação. Educação não pode ser tratada desta forma, tem que ser de forma única, certeira e que traga resultados no futuro. Se você faz picado, sem sequência, compromete o desenvolvimento dos professores em suas atividades e, é claro que isso vai refletir no aluno. Estamos já fazendo um plano, estou vendo um entusiamos muito grande dos professores.*

FONTE..........www.ubatubasim.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário