.

.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Moradores de bairros de Ubatuba onde há casos suspeitos de febre amarela devem ser vacinados

Os moradores dos bairros Centro (unidades de Umuarama e Sumaré), Taquaral, Figueira e Saco da Ribeira devem buscar imunização con... thumbnail 1 summary




Os moradores dos bairros Centro (unidades de Umuarama e Sumaré), Taquaral, Figueira e Saco da Ribeira devem buscar imunização contra a febre amarela mesmo que não pretendam viajar para áreas endêmicas da doença.

 

A determinação é do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) do estado que, por medida de precaução, estendeu a imunização aos moradores dos bairros onde há suspeitas de febre amarela. Segundo a Vigilância em Saúde de Ubatuba, o município tem apenas dois casos suspeitos da doença “importados”, ou seja, de pessoas que estiveram em Minas Gerais visitando familiares e que voltaram apresentando os sintomas. Ambos aguardam resultado de exame sorológico.
A vacina também é recomendada para todas as pessoas que pretendam viajar ou morem em áreas endêmicas da doença, como é o caso de Ladainha, em Minas Gerais, lugar de origem de muitos habitantes de Ubatuba e que vem apresentando altos índices de casos confirmados.
“Solicitamos mais vacinas para ter cobertura completa da cidade como medida de prevenção, mas ainda aguardamos resposta do estado”, informa o secretário de Saúde de Ubatuba, dr. Alessandro Cacciatore.
Orientações
A Vigilância em Saúde lembra que crianças e adultos que já tomaram as duas doses da vacina ou que tomaram a primeira dose dentro dos últimos 10 anos estão devidamente protegidos contra a febre amarela. Segundo o Ministério da Saúde, duas doses são o suficiente para proteger contra a doença durante toda a vida.
Crianças que não tenham recebido a vacina contra a febre amarela ou contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela (tríplice ou tetra viral) devem primeiro receber a dose de febre amarela (caso estejam no grupo que deve tomar esta vacina) e agendar a proteção contra as demais doenças para 30 dias depois.
A vacina é contraindicada em algumas situações que devem ser avaliadas pelo posto de saúde, como, por exemplo, no caso de mulheres grávidas, idosos, pacientes com imunodepressão e alérgicos a ovos. A idade mínima para toma-la é aos 9 meses.
 PREFEITURA MUNICIPAL DE UBATUBA -SP 
Crédito da foto: Portal EBC – Empresa Brasileira de Comunicação

Nenhum comentário

Postar um comentário