.

.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Câmara de Ubatuba aprova reajuste salarial de servidores municipais

Câmara de Ubatuba aprova reajuste salarial de servidores municipais e em meio à polêmica aprova também o reajuste dos secretários d... thumbnail 1 summary






Câmara de Ubatuba aprova reajuste salarial de servidores municipais e em meio à polêmica aprova também o reajuste dos secretários do prefeito Sato

 

 

Durante a sessão de Câmara realizada ontem, dia 14, os vereadores de Ubatuba aprovaram o projeto de lei do executivo que prevê o aumento dos servidores municipais, a partir de 1º de fevereiro de 2017, em 8,79%. O projeto também manteve a concessão do abono salarial pago mensalmente aos servidores ativos e inativos e que varia conforme referência salarial.
Aprovado por unanimidade, o projeto defendido na tribuna da Câmara pela presidenta do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública de Ubatuba (SINDTAPU), Sandra da Silva, não causou polêmica e foi amplamente defendido pelos vereadores. “Parabenizo o prefeito por já começar com uma correção dos salários dos funcionários públicos, ele pegou o maior dos três índices para isso. É um prefeito arrojado que quer ajudar os funcionários públicos. Espero que continue assim…”, concluiu o vereador Adão – seguido pelo Pastor Claudnei, Dr. Ricardo Cortes e Silvinho Brandão, que também aproveitaram a ocasião para elogiar a atitude do prefeito.
Entretanto, a noite no legislativo ubatubense não terminou tão calma como previam os munícipes que acompanhavam a sessão. Após essa aprovação, a mesa diretora da Câmara colocou em votação um projeto de lei de sua autoria para reajustar em 7,19% os salários dos secretários da prefeitura, assessores municipais, dos chefes de gabinete e de governo, bem como do ouvidor geral. Com essa medida o salário dos secretários passou de R$ 8.002,84 para R$ 8.578,24.
Antes mesmo de ser colocado em votação, o vereador Bibi se posicionou contra a maneira como o projeto foi exposto aos representantes do Legislativo e indicou os motivos pelos quais considera inoportuna a iniciativa. “Eu particularmente acho um absurdo esse projeto da mesa, da forma que ele tramitou. Meu gabinete esteve hoje o dia inteiro aberto e eu não recebi esse projeto. Me senti desrespeitado no momento que não tive acesso a esse projeto. O secretário municipal ganha 8 mil reais e ainda vai ter aumento? Acabamos de falar do rombo que herdamos da administração anterior e vamos aprovar isso? Com todo o respeito que tenho pelo prefeito Sato, mas não é hora para ter aumento para secretário e comissionado, estamos em crise no País. Invés de dar aumento para secretário, porque não damos aumento de 10% para o servidor público… Não basta a paulada que tomamos da população com o aumento do subsídio para os vereadores? Qual o impacto orçamentário desse projeto, algum vereador sabe?”, questionou o vereador que foi aplaudido pelos munícipes que estavam presentes na Câmara.
Na sequência do discurso de Bibi, os vereadores Adão, Dr. Ricardo, Rochinha e Pastor Claudinei defenderam o reajuste – lembrando que destes Dr. Ricardo e Rochinha endossaram parte da fala de Bibi, pedindo para que os projetos fossem enviados com antecedência para que os vereadores pudessem analisá-los melhor.
“Fica aqui a minha fala a respeito da legalidade do reajuste do salário dos vereadores, fizemos aquilo que está na lei, nada ilegal. Quem tem que fazer a lei é a Câmara, a revisão geral dos servidores cabe ao prefeito fazer, mas reajustes de agentes políticos tem que partir da Câmara, está na Constituição… Não vejo nenhuma injustiça, nenhuma anormalidade… Esses que vêm aqui e batem tambor, e falam que o Brasil está em crise querem cercear o trabalho desta Câmara”, disse o Pastor Claudnei.
Após os discursos, o projeto foi colocado em votação e acabou aprovado – com apenas um voto contrário do vereador Bibi. Agora, o mesmo projeto segue para aprovação do prefeito Sato.
O lado do executivo
Por nota oficial, enviada para toda imprensa pela Secretaria de Comunicação, o prefeito Sato indicou que irá aprovar o projeto da mesa diretora da Câmara que prevê o reajuste do alto escalão da prefeitura e também reforçou seu apoio aos servidores municipais. “Apesar das dificuldades fizemos este esforço para apoiar os servidores. Nós, agentes políticos, ficamos abaixo do reajuste. Continuaremos trabalhando, com transparência e respeito, pela valorização de nossos servidores”, afirmou o prefeito de Ubatuba, Délcio Sato.

PORTAL  CAIÇARA

Nenhum comentário

Postar um comentário