.

.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Câmara inicia CPI para apurar indícios de corrupção na associação dos estudantes universitários de Ubatuba

Serão investigados a não prestação de contas da AEUU (Associação dos Estudantes Universitários de Ubatuba) durante cinco anos Por Raell... thumbnail 1 summary
Serão investigados a não prestação de contas da AEUU (Associação dos Estudantes Universitários de Ubatuba) durante cinco anos
Por Raell Nunes, de Ubatuba SP, para  Tamoios News .
Denominada como a CPI da AEUU, os trabalhos de investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito já começaram em Ubatuba. O processo já é discutido há mais de três semanas.
 
Objetivando apurar irregularidades de gastos indevidos envolvendo os repasses financeiros feitos pela prefeitura, a apuração tem um prazo de 90 dias para terminar, sendo que pode ser prorrogado por igual período.
Será averiguada a não demonstração do dinheiro público investido na AEUU. Ou seja, há dúvidas nas prestações de contas durante cinco anos, de 2011 a 2015. Segundo o Legislativo, essa situação ocasionou “prejuízo ao erário público e aos estudantes universitários de Ubatuba”.
A prefeitura custeia 50% do valor total para que os estudantes tenham transporte para ir às faculdades de Caraguatatuba e Taubaté. A outra quantia vem do bolso dos alunos, por meio de mensalidades. Por exemplo, se a quantia a pagar é R$ 100 mil, a administração municipal entra com R$ 50 mil e os universitários custeiam o restante.
Até o momento, estão comandando as investigações os vereadores: Pastor Claudnei (PSDB), Junior (PTN) e Adão Pereira (PCdoB). O custo estimado da CPI é de R$ 20 mil.
“O importante é se ater aos repasses públicos. A diretoria da associação tem que ter o compromisso de administrar e fazer suas prestações de contas”, disse Pastor Claudnei sobre o caso.
Para o legislador Junior, é preciso haver transparência. “Isso tem que ficar muito claro. Transparência em todos os atos. Que essa Casa de Leis possa buscar todas as informações junto ao Executivo e a população ficar ciente de tudo que aconteceu”, acrescentou.
Após o término das atividades, caso seja constatado ou não alguma irregularidade, a CPI deverá elaborar um relatório para tomar providências cabíveis. Isto é, encaminhar ao ministério público e ao plenário da Câmara Municipal para a devida penalidade dos envolvidos ou o arquivamento do processo.

Nenhum comentário

Postar um comentário