.

.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Estado afirma que depende de teto financeiro para repassar valores ao tratamento de Hemodiálise no Litoral Norte SP

Serviço de hemodiálise atende 145 pacientes do litoral; Administração municipal arca com custeio de R$ 370 mil Da Redação/Tamoios New... thumbnail 1 summary
Serviço de hemodiálise atende 145 pacientes do litoral; Administração municipal arca com custeio de R$ 370 mil
Da Redação/Tamoios News

 

Após a informação de que Caraguatatuba decidiu assumir a referência para o tratamento de hemodiálise no Litoral Norte, o Governo do Estado admitiu que aguarda a liberação por parte do Ministério da Saúde e depende do aumento de teto financeiro de alta complexidade ao Sistema Único de Saúde (SUS) de São Paulo.

Isto ocorre porque, de acordo com o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Taubaté – responsável pelo Litoral Norte –, a gestão municipal anterior informou que teria condições de arcar com o custeio do serviço e não renovou o contrato com a saúde estadual.
Segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Saúde, no inicio deste ano, o Município pediu ao Estado o credenciamento e habilitação do serviço, que aguarda liberação do Ministério da Saúde.
Diante disso, a Prefeitura de Caraguá também informou que já iniciou o credenciamento da cidade junto ao Ministério da Saúde para o recebimento de verbas. Segundo a Administração Municipal, atualmente são 145 pessoas atendidas e um investimento de R$ 370 mil custeados exclusivamente pela Administração Municipal.
Após uma viagem à Brasília para solicitação do credenciamento, o secretário Municipal de Saúde, Amauri Toledo, se comprometeu a continuar arcando com os custos do tratamento até que as verbas federal e estadual sejam liberadas.
“A Clínica de Hemodiálise funciona no município desde setembro. No entanto, apenas agora este credenciamento foi solicitado por nós, desta gestão. Isso nos proporcionará, após finalização do processo, uma verba federal destinada à Caraguatatuba para pagamento do instituto no valor, em média, de R$ 300 mil por mês”, avalia Amauri.
Questionada sobre o número de pacientes atendidos de outros municípios, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Caraguá informou que, dos 145 pacientes atualmente atendidos, 61 são de Caraguatatuba, 52 de São Sebastião, 20 de Ilhabela e 12 da cidade de Ubatuba.

Nenhum comentário

Postar um comentário