.

.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Workshop define problemas comuns de Meio Ambiente das cidades do Litoral Norte

Caraguatatuba promoveu nesta quinta-feira (20) um workshop para detalhar os problemas comuns enfrentados pelas quatro cidades do Litoral... thumbnail 1 summary


Caraguatatuba promoveu nesta quinta-feira (20) um workshop para detalhar os problemas comuns enfrentados pelas quatro cidades do Litoral Norte, referente a questões ambientais. A iniciativa foi da JICA (Agência de Cooperação Internacional do Japão), por meio do Governo do Estado, e contou com representantes de todas as prefeituras da região, além do município de Ilha Cumprida, Litoral Sul do estado.


 


A intenção foi conhecer os detalhes dos problemas levantados por cada cidade e verificar a possibilidade de aplicar o conceito do Satoumi (que representa o ideal de convivência entre seres humanos e natureza) na região. O conceito consiste basicamente em um modelo ideal de sociedade sustentável, com o desenvolvimento de projetos voltados a integração de todo sistema.
Para isso, durante o encontro, as cidades apresentaram resumidamente as dificuldades encontradas. Ficou concluído que as questões relativas à destinação de resíduos, coleta seletiva e educação ambiental, são ineficientes e amadoras, acarretando ainda custo alto para os municípios.
De acordo com Marcel Giorgeti, secretário de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, somente Caraguatatuba transborda cerca de 1,5 tonelada de resíduos todos os meses para o aterro sanitário de Jambeiro. “Esta é uma realidade de todo o litoral, já que não há na região nenhum aterro licenciado para a destinação do lixo”, ressaltou. Ainda de acordo com ele, outro agravante é a coleta seletiva que, considerando a particularidade de cada cidade, todas têm uma realidade amadora.  “Hoje do lixo coletado em Caraguatatuba, 31% é reciclável, contudo, deste percentual apenas 2% é reciclado efetivamente”, esclareceu.
Para o secretário de Meio Ambiente de São Sebastião, Leandro Saadi, com essa realidade comum, o ideal é investir na educação ambiental implementando projetos que envolvam toda a sociedade.
O representante do governo do Estado, Antonio de Pádua Chagas, responsável pela interface com a Jica, esclareceu que a partir de agora, com o diagnóstico dos problemas comuns das cidades, a Agência irá compilar todos os dados e elaborar um programa que possa ser aplicado em toda região.  Segundo ele, até a próxima terça-feira (25) todos os dados serão enviados para análises no Japão e posteriormente será apresentado aos municípios um prognóstico para avaliação.
A intenção, conforme relatou Antonio, é incentivar um trabalho integrado na região, por meio de convênio, intercâmbios profissionais e serviços, sobre tecnologia avançada nas questões voltadas para os resíduos e qualidade da água.

Fonte: PMC (Foto: Claudio Gomes)
fonte Prefeitura de Caraguatatuba SP

Nenhum comentário

Postar um comentário